O que muda com a entrada dos pagamentos instantâneos?

Segundo a nova declaração do Banco Central (BC), o sistema de pagamentos instantâneos ficará pronto em novembro de 2020. Por enquanto ele está na etapa de planejamento e regulamentação. Aliás, podemos acompanhar essa etapa pelo Fórum Pagamentos Instantâneos (FPI).

Hoje quando queremos pagar por nossas compras, normalmente utilizamos o cartão, o dinheiro em espécie ou um boleto. Porém, com a vinda dos pagamentos instantâneos será preciso ter em mãos apenas um smartphone. 

Como ficarão os pagamentos no Brasil?

Segundo uma pesquisa do Banco Central, em 2018, 96,1% das pessoas ainda preferiam utilizar dinheiro em espécie para pagar por suas compras. Ou seja, mesmo com a disponibilidade de cartões e de aplicativos de pagamento, as pessoas ainda estão presas ao dinheiro físico.

Mesmo assim, o Banco Central está confiante que os pagamentos instantâneos sejam uma boa opção para os brasileiros. Afinal, segundo a Fundação Getúlio Vargas, já há 220 milhões de smartphones ativos para 207,6 milhões de brasileiros. Isso corresponde a mais de um aparelho por pessoa.

Além de grande parte das pessoas já terem a ferramenta necessária para fazer as operações financeiras, os pagamentos instantâneos vão proporcionar benefícios para a população, empresários, comerciantes e até para o governo. 

Em relação à população, cada cidadão poderá sair de casa apenas com o smartphone, sem a necessidade de ter dinheiro ou cartão na carteira. Isso proporciona mais segurança. 

Para os lojistas, o benefício está em receber pelas vendas em instantes após a conclusão do pagamento pelo aplicativo, com taxas menores do que as que são praticadas hoje com as máquinas de cartão. Além disso, as transações poderão ser feitas em qualquer horário e dia da semana.

Os empresários, por sua vez, poderão pagar seus funcionários, realizar compras e pagar as taxas ao governo por meio do aplicativo de pagamento instantâneo. Assim como os lojistas, esses pagamentos poderão ser feitos em qualquer hora do dia e até mesmo no final de semana.

Por fim, o governo se beneficia, pois seu custo com a impressão de cédulas de dinheiro irá reduzir. Segundo dados do BC, em 2018 foram gastos R$790 milhões para imprimir dinheiro em espécie. Outro ponto, é que a fiscalização será melhor realizada, já que o aplicativo de pagamentos instantâneos será fiscalizado e regulado pelo Banco Central.

O que se espera com a implementação dos pagamentos instantâneos?

Até o final de 2020 é para já termos acesso ao aplicativo de pagamento instantâneo. O que se espera é que precise de um tempo de adaptação e mudança para que as pessoas deixem de lado o dinheiro em papel e o cartão para adotar o aplicativo. 

Para isso, tanto lojistas como as pessoas precisam fazer essa mudança. Por exemplo, na China, a população passou do pagamento em dinheiro para o pagamento instantâneo em três anos. Aliás, eles pularam a etapa do uso de cartão. Hoje até quem é artista de rua, já aceita pagamento por meio do aplicativo na China.

Então, irá haver um período de adaptação tanto pelos lojistas quanto pela população para que depois os pagamentos instantâneos comecem a ser o meio mais utilizado. O que proporcionará todos os benefícios que citamos anteriormente. 

Quer entender mais sobre como será o ecossistema de pagamento instantâneo? Então acesse nosso post clicando aqui e confira.


Posts relacionados

Pagamentos com QR Code são seguros?

Pagamentos com QR Code são seguros?

No ano de 2020, o que se espera é que o Banco Central consiga colocar em prática a...

Como funciona o limite do saque do cartão de crédito?

Como funciona o limite do saque do cartão de crédito?

É normal passarmos por situações que nos exigem ter dinheiro em mãos para pagar alguma compra ou taxa....