5 dicas de gestão para o seu MEI decolar

Muitos autônomos conseguiram se formalizar ao se tornarem Microempreendedores Individuais (MEI). Isso permitiu que eles pudessem ter direitos previdenciários garantidos, emitir notas fiscais, ter conta como pessoa jurídica em banco, entre outros benefícios.

Porém, apesar da formalização, muitos não investiram em cursos para aprenderem a gerir seus negócios. Por conta disso, ainda há empreendedores que cometem muitos erros de gestão. Por isso, listamos 5 dicas de gestão para MEI. Assim, você conseguirá ter bons resultados com o seu empreendimento.

1. Tenha um planejamento

Não basta apenas ter uma boa ideia de negócio sem ter um bom planejamento para se guiar. Por meio do planejamento o empreendedor consegue visualizar melhor seus próximos passos para atingir as metas que foram definidas. Aliás, é no próprio planejamento que as metas são definidas.

Sendo assim, tenha uma boa ideia de negócio, mas também saiba para onde guiar o seu empreendimento. Então, crie objetivos e trace estratégias para alcançá-los. Esses objetivos podem ser desde o quanto quer ter de faturamento em cada mês até quando pretende expandir o seu negócio. 

É importante criar metas realistas e que você sabe que com um bom trabalho elas serão alcançadas. Então, depois crie as tarefas que precisam ser cumpridas para atingir seus objetivos.

2. Mantenha separado o pessoal do profissional

Um grande erro que muitos microempreendedores individuais cometem é misturar as contas pessoais das profissionais, desde usar o cartão pessoal para pagar o fornecedor até não separar um salário para si próprio. 

Então, comece por criar duas contas bancárias: uma pessoal e outra para a empresa. Tenha uma conta pessoa jurídica para a empresa. Algumas fintechs hoje já dispõem de contas pessoa jurídica sem taxas de manutenção, como o Banco Inter e o Neon.

Assim, junto da conta jurídica é interessante que se tenha também um cartão desta. Pois sempre que precisar pagar um fornecedor, por exemplo, o microempreendedor deve fazer uso dele para concentrar apenas na conta PJ os débitos da empresa. 

Além disso, é importante que o microempreendedor tenha seu próprio salário. Ele deve ser definido de acordo com suas despesas e horas trabalhadas. Dessa forma, todo início do mês ele deve transferir para a sua conta pessoal o seu salário. Isso o ajuda a manter as contas da empresa separadas da conta pessoal.

3. Tenha um bom controle de fluxo de caixa

Já que estamos falando em financeiro, é importante ter um bom controle de fluxo de caixa. Ele possibilita que o MEI consiga saber se seu negócio está indo bem ou se precisa de novas estratégias para equilibrar as contas.

O fluxo de caixa é feito ao registrar todas as entradas e saídas de dinheiro do caixa. Além de anotar o valor é importante anotar a data e descrever porque o dinheiro está entrando ou saindo do caixa. Assim, o MEI consegue saber exatamente para onde está indo seu dinheiro e quais são os produtos ou serviços que mais lhe rendem financeiramente.

4. Faça o gerenciamento de estoque

Aliado ao controle de caixa é preciso ter atualizado o seu estoque e fazer o controle do mesmo. Um estoque mal administrado pode ser um grande prejuízo, pois nele podem estar produtos vencidos, parados há muito tempo ou que não são mais de interesse dos consumidores. 

Por isso, se você tem uma loja física ou virtual em que vende produtos, tenha uma planilha de controle do seu estoque. Nela anote o nome do produto junto com a data de entrada e a quantidade. Assim, sempre que um produto for vendido dê baixa dele no estoque. 

Só ao analisar essa planilha você já vai conseguir notar quais são os produtos que mais são vendidos e quais que estão ali há meses. Se notar que tem produto há muito tempo parado, faça uma promoção dele para tentar vendê-lo e, assim, não ficar com dinheiro parado no estoque.

5. Saiba como cobrar por seu produto ou serviço

O MEI que tem seu primeiro negócio próprio costuma ter dificuldades em cobrar por seu produto ou serviço. Isso acontece porque, geralmente ele nunca teve um negócio antes ou, se já teve, não pensou em fazer um curso de gestão financeira para empresas.

Dessa forma, se você é um MEI que não sabe como cobrar por seu produto ou serviço, faça os cálculos hoje mesmo. Para o MEI que trabalha apenas com serviços, é possível saber o valor de cada um ao calcular quanto vale a sua hora. Para isso, defina um valor mensal que gostaria de receber e divida ele pelas horas trabalhadas durante o mês. Assim, é possível encontrar o valor da hora.

Já para quem vende produtos, é preciso agregar ao valor final o custo do produto em si, os gastos com energia, água, aluguel e outras despesas fixas do negócio e colocar uma margem de lucro. 

Com essas dicas de gestão para MEI, você vai conseguir organizar melhor o seu negócio e manter as contas equilibradas. Além disso, é possível pensar em expandir o empreendimento. Sendo assim, anote as dicas e coloque elas em prática. 


Posts relacionados

O que são fintechs?

O que são fintechs?

A tecnologia tem revolucionado muitos mercados nos últimos anos e um deles é o financeiro. Com isso surgiram...

Como será a revolução dos pagamentos instantâneos em 2020

Como será a revolução dos pagamentos instantâneos em 2020

O ano de 2020 está sendo muito esperado pelas fintechs e pela população que gosta de praticidade e...